Preparar REBELIÃO contra o aumento das tarifas!

PROTESTO 3Ainda estamos nos primeiros dias de 2016 e os gananciosos empresários do transporte já anunciam absurdos aumentos no valor das passagens de ônibus. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 65% da população das capitais brasileiras usa o transporte público para se deslocar. Estima-se que apenas em São Paulo mais de 17 milhões de pessoas utilizam os ônibus diariamente, e as viagens duram, em média, 67 minutos. Até agora já foi anunciado o aumento no valor da tarifa em pelo menos 21 cidades no Brasil. Os valores do reajuste são listados a seguir:

Rio de Janeiro: de R$ 3,40 para R$ 3,80.

São Paulo: de R$3,50 para R$ 3,80.

Campinas (SP): de R$3,50 para R$ 3,80.

Aracaju (SE): de R$ 2,70 para R$ 3,10.

Joinville (SC): R$3,70 para R$ 4,50.

Salvador (BA) R$ 3,00 para R$ 3,30.

Cuiabá (MT): de R$ 3,10 para R$ 3,60.

Teresina (PI): de R$2,50 para R$ 2,83, sendo este o segundo aumento em menos de 1 ano.

Belo Horizonte (MG): A principal tarifa passou de R$ 3,40 para R$ 3,70, sendo este o segundo reajuste de preços em menos de seis meses.

A pesquisa do Ipea mostrou que desde 2010 a população brasileira gasta, em média, valores equivalentes com transporte e alimentação: o transporte é responsável por consumir 20,1% do orçamento dos trabalhadores brasileiros, enquanto a alimentação é responsável por 20,2%.

A crise atinge os pobres, mas não chega nos patrões

Os empresários terminaram o ano de 2015 mais que felizes já que seus lucros milionários foram garantidos. De acordo com a pesquisa de mobilidade urbana da Rede Nossa São Paulo (SP) e da Fecomércio (SP), os reajustes de preços de ônibus, metrô, trem e outros meios de transporte fizeram com que os gastos dos brasileiros com transporte crescesse 20% só em agosto de 2015.

Agora, com esses aumentos, querem novamente atacar o bolso dos usuários e garantir lucros ainda maiores em 2016. Sendo esse um ano eleitoral, quando esses empresários financiam caríssimas campanhas, o aumento das tarifas por todo o país se faz necessário. É obvio que a melhor forma de pagar a conta dessas campanhas é com o aumento das tarifas do transporte, prejudicando assim ainda mais a já difícil vida do povo brasileiro, que sofre com a carestia do preço dos alimentos, o aumento do desemprego e a falta de serviços públicos básicos, como educação e saúde.

Quando o assunto é aumentar o preço das passagens até mesmo o prefeito Haddad (PT-SP) e o governador Geraldo Alckimin (PSDB), que vivem em pé de guerra, se unem para atacar os trabalhadores e a juventude pobre da maior cidade da América Latina. Durante suas ricas campanhas eleitorais todos os candidatos dizem que o transporte vai ser prioridade em suas gestões caso sejam eleitos, mas o serviço continua de péssima qualidade e em alguns casos entrar em um ônibus é uma tarefa quase impossível.

A organização do povo pode barrar o aumento das passagens

Centenas de estudantes tem se organizado em comitês e frentes de luta contra o aumento da tarifa por todo o Brasil. É preciso aumentar a nossa articulação, convocar os usuários do sistema de transporte, os trabalhadores dessas empresas que protagonizaram combativas e importantes greves no último período, os metroviários e a sociedade civil e com a nossa luta impedir mais esse aumento.

É possível e preciso repetir o que aconteceu em junho de 2013, quando milhões de pessoas foram as ruas e conquistamos a revogação do aumento das passagens em mais de 100 cidades.

Chega de enricar os donos das empresas! Queremos um transporte que funcione, que nos leve com segurança onde precisamos ir e não de um transporte que mata, como a jovem estudante Camila Mirele, que teve sua vida tragicamente interrompida após subir em um ônibus lotado na cidade do Recife.

É hora de organizarmos uma verdadeira REBELIÃO contra os tubarões do transporte público, ocupar as ruas e organizar a nossa indignação e rebeldia para frear esses aumentos absurdos. Vamos à luta!

Essa matéria é dedicada à memória de Camila Mirele, que em maio de 2015 caiu de um ônibus em movimento chegando a óbito. O ônibus da linha Barro/Macaxeira passava pela BR-101, em frente à Casa do Estudante, perto do campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A linha é operada pela empresa Metropolitana. Aluna do segundo ano do curso de biomedicina na UFPE, Camila estava voltando para casa, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana, e o ônibus estava superlotado. O veículo estava em movimento quando a porta se abriu e a jovem caiu.

Jessé Samá, Militante da UJR e diretor da UNE.
Shara Narde, Militante da UJR.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s