Movimentos estudantis convocam acampamentos regionais

Cartaz do acampamento regional Norte-Nordeste

Cartaz do acampamento regional Norte-Nordeste

           Nos últimos meses, particularmente em junho, vimos se multiplicar no Brasil protestos, passeatas, manifestações e lutas da juventude brasileira. Estas multitudinárias mobilizações alcançaram todo o país e chegaram a colocar milhões nas ruas, reivindicaram mais direitos para a juventude, mais educação, mais saúde, mais qualidade de vida. A luta pelo passe-livre se popularizou e as ruas demonstraram à nossa geração qual o caminho: derrubamos a tarifa em mais de 100 cidades!

                As jornadas de junho confirmaram o que já dizíamos há anos: a copa do mundo não é nossa. Esta copa, orgia financeira da FIFA e dos patrocinadores, é um absurdo, num país que vive um caos na saúde com pessoas morrendo em filas nos hospitais, e onde a educação ocupa a 88ª posição no ranking mundial. A maioria dos jovens que foram às ruas no pais inteiro são universitários. Não impulsionamos as jornadas de junho, mas com certeza estávamos e estamos em sintonia com a indignação que tomou conta do pais.

                O movimento REBELE-SE na UNE existe desde 2005 e tem se tornado um importante instrumento dos estudantes universitários na luta por seus direitos. Hoje, somos a maior corrente de oposição a direção majoritária da União Nacional dos Estudantes (UNE) e juntamente com as outras correntes da Oposição de Esquerda da entidade, organizamos a resistência ao projeto antidemocrático e antipopular de educação que o atual governo tem colocado em prática.

          É exatamente para fortalecer essa construção coletiva, que a coordenação do movimento universitário REBELE-SE e alguns movimento estudantis convocam dois acampamentos regionais para 24 e 25 de agosto na Paraíba (Norte e Nordeste) e nos dias 31 de agosto e 1 de setembro em Minas Gerais (Sul, Sudeste e Centro-Oeste). Reuniremos os militantes destes movimentos para discutir ações conjuntas e o caráter do movimento universitário na atual conjuntura do país. Vem com a gente construir a universidade que queremos no Brasil que sonhamos!

Cartaz do Acampamento Regional Sul-Sudeste-Centro-Oeste

Cartaz do Acampamento Regional Sul-Sudeste-Centro-Oeste

Estudantes da UFCG, organizados pelo DCE, ocupam reitoria por melhorias nas residências universitárias

Estudantes estão indignados com a situação da residência universitária

Estudantes estão indignados com a situação da residência universitária

          Nesta Quarta feira, 31 de julho de 2013, na UFCG, representantes do DCE – UFCG (Gestão Voz Ativa) e Estudantes que residem nas Residências Universitárias (RUN) da universidade, adentraram a reitoria exigindo explicações e soluções para os problemas que atualmente atingem as residências universitárias. A situação mais crítica é a da Residência no Bairro da Prata, que conta com pouco mais de 40 residentes e está, LITERALMENTE, caindo aos pedaços.

          Hoje a UFCG possui apenas 98 residentes no campus de Campina Grande e a falta de estrutura e aparato para esses estudantes, e tantos outros que terão a oportunidade de residir em alguma das residências, é grande!

Entre os pontos de reivindicação estão:

  • Melhor infraestrutura nas residências;
  • Melhor divisão para evitar quartos superlotados;
  • Fornecimento de Vale Transporte, visto que, diferentemente de outras universidades Brasil afora (ou mesmo a UFCG de Patos), os residentes não residem dentro da Universidade;
  • Locação de imóveis para transferir os residentes enquanto o Novo Prédio da Prata não é Inaugurado.

       O prazo dado pelo Pró Reitor da PRAC e o Reitor da UFCG foi de 30 dias para que os estudantes possam estar em novos apartamentos, e de 45 dias para que o Vale Transporte seja fornecido.

          Na manhã desta Quinta, 01 de Agosto, uma Comissão composta pelo DCE, PRAC E Residentes irão aos apartamentos para que então seja realizada uma Assembleia com os Estudantes da Residência da Prata anunciando a mudança (ou não) e permanência das mobilizações por melhores condições de assistência na UFCG.

Rafael Gonçalves é Coordenador-geral do CA de Psicologia e Secretário-Geral do DCE-UFCG

1004646_215037505320090_970904392_n 1098215_215037698653404_342585861_n 625408_215037688653405_794548494_n 644183_215037668653407_558796983_n

Os estudantes da UFCG escolheram: todos os nossos delegados com a tese REBELE-SE!

Imagem

Cartaz espalhado na universidade!

       No dia 11 de abril, aconteceram as eleições para delegados ao 53º Congresso da UNE na UFCG (Campus Campina Grande), estavam na disputa a Chapa 1 REBELE-SE – Oposição na UNE e a Chapa 2 – Bloco na Rua (representando a majoritária atual da UNE). Após grande mobilização de campanha da chapa 1, que compõe a direção do DCE-UFCG como Movimento Voz Ativa, chamando os estudantes para reconstruírem a União Nacional dos Estudantes, transformando-a em uma entidade rebelde e combativa que realmente represente os interesses estudantis, obtivemos uma vitória histórica.

          Ao final da apuração, o resultado foi o seguinte: REBELE-SE (Oposição de Esquerda) – 860 votos e Bloco na Rua – 31 votos. Os estudantes da UFCG mostraram que aqui não tem mais espaço para o governismo e nem para os oportunistas. Queremos continuar construindo um movimento estudantil combativo que luta por uma universidade pública cada vez mais popular e democrática.

      Os estudantes da UFCG viveram e continuam vivendo grandes mobilizações dentro da Universidade, desde as mobilizações contra a precarização da educação que precederam a greve das federais em 2012, as mobilizações que barraram a EBSERH (privatização do Hospital Universitário) e agora os estudantes querem a universalização do Restaurante Universitário, que é gratuito, mas não é para todos os estudantes. Vamos a Luta construir uma grande bancada no estado da Paraíba com destino a Goiânia, com estudantes dispostos a mudar a história da UNE, trazendo a entidade de volta para a Luta dos Estudantes!

Edísio Leite é Presidente do DCE-UFCG