Copa das Lutas

Estamos há alguns dias do início da Copa da FIFA. Após 64 anos, o Brasil volta a sediar o mais importante evento esportivo do mundo. No entanto a conjuntura política que atravessamos mostra um período muito importante para a luta da juventude e dos trabalhadores.

Imagem

Desde o ano passado, quando o Brasil viveu as gigantescas manifestações de junho, as lutas sociais não param de crescer. Trabalhadores em greve na luta por melhores salários, moradores sem teto exigindo o direito à moradia, servidores denunciando as péssimas condições nos serviços públicos, e tudo isso num grande enfrentamento contra governos, forças policiais, e mesmo sindicatos vendidos que não representam os interesses dos trabalhadores.

Essa crescente participação da classe trabalhadora dá novo fôlego aos protestos e manifestações que a juventude protagonizou nos últimos meses. Infelizmente, mesmo falando em ouvir a voz das ruas o governo tem apresentado como resposta intransigência na negociação com servidores em greve, e repressão contra os manifestantes, propondo tratamento de terroristas aqueles que forem às ruas durante a Copa do Mundo.

Movimento Estudantil

Nesse 62° CONEG, reunindo lideranças estudantis de todo o país, precisamos refletir sobre o importante momento que vivemos e dar vez e voz às lutas que vem se desenvolvendo de norte a sul.

A Copa da FIFA, na prática representa a destinação de grande parte de recursos públicos para a iniciativa privada como as grandes empreiteiras, parceiros da FIFA e os meios de comunicação, em especial a Rede Globo, detentora dos direitos exclusivos de exibição.

É obvio que o famigerado pagamento da dívida pública, que consumirá 42% do orçamento da união em 2014 é o maior responsável pela falta de dinheiro para saúde, educação, transporte e moradia no país. Mas a Copa representa a continuidade dessa política de investimento de dinheiro público para iniciativa privada.

Convocamos cada DCE presente a se somar nas lutas existentes em todo o país, e nessas manifestações que se aproximam a levantar mais alto a defesa de um país soberano e que atenda aos interesses do seu povo, e não que submeta seus investimentos e até suas leis para realização de um evento esportivo.

Todos às ruas! Copa pra quem? Na Copa vai ter luta!

Texto do material do Movimento Rebele-se para o 62° CONEG da UNE

Anúncios

60º CONEG – Por uma UNE democrática e de luta!

Estudantes exigem democracia na USP

O Conselho Nacional de Entidades Gerais (CONEG) da União Nacional dos Estudantes (UNE) é o fórum da entidade que reúne os DCEs e UEEs de todo o país para debater temas relevantes aos estudantes e ao povo brasileiro. Os CONEGs convocam os Congressos da UNE, definem a política da entidade para questões específicas e podem convocar jornadas de luta. Esse CONEG tem como motivo discutir o desenvolvimento sustentável e montar uma plataforma política para apresentar a sociedade brasileira nesse período eleitoral.
A tese REBELE-SE está se mobilizando para participar do CONEG. Acreditamos que é uma oportunidade para debater os rumos da entidade. O tema do Conselho “Projeto UNE Brasil+10” precisa refletir as propostas dos estudantes para o Brasil de hoje e os problemas atuais que vive o país. Como fazer um projeto para os próximos dez anos no Brasil, sem tratar dos impactos danosos dos mega eventos (Copa 2014 e Olimpíadas) para as cidades-sede? Como falar desses mega-eventos sem falar das milhares de famílias despejadas de suas casas e jogadas para longe dos centros urbanos, para mostrar um país “limpo” para os turistas? Como falar dos próximos dez anos no Brasil e não falar da privatização dos aeroportos e do Pré-sal pelo governo? Como falar de Brasil+10 sem falar dos milhões de desempregados que existem no país, fruto de uma política que privilegia há centenas de anos os ricos e poderosos? Como falar de Brasil em dez anos, sem falar da reforma agrária que não sai do papel?
O que vimos nos últimos fóruns da UNE em relação a essas discussões não corresponde aos interesses dos estudantes brasileiros. A que interesses serve, por exemplo, a UNE subir no mesmo palanque dos industriais de São Paulo (que superexploram seus operários com jornadas de trabalho estafantes e salários vergonhosos) para defender que o governo diminua os juros e aumente as benesses para esses grandes capitalistas, para que eles fiquem mais ricos do que são. Apesar dos protestos da oposição, a direção majoritária da UNE cumpriu esse vergonhoso papel.
Se perguntarmos a esses empresários, serão favoráveis a remoção das famílias para a Copa 2014, serão favoráveis a qualquer privatização, serão favoráveis ao desemprego, por que este cria uma mão-de-obra reserva, que rebaixa os salários em geral pela procura do emprego. Nós somos contra tudo isso. Será que quem anda com os empresários também concorda com eles?
Vamos nos mobilizar para defender as posições do movimento estudantil rebelde e combativo no 60º CONEG da UNE. Cada DCE precisa baixar (www.http://www.une.org.br/wp-content/uploads/ATA-DO-60-CONEG-DA-UNE-1.pdf) a ata de eleição de delegado ao CONEG e se inscrever até o dia 14/06. Leia o regulamento que vem no verso da ata com atenção e saiba quais os documentos necessários para credenciar a sua entidade. Entre em contato com (11) 52683835 ou rebelesenaune@gmail.com